O MUNDO ATRAVÉS MEUS OLHOS

OLHOS
Crédito foto: João Guilherme Pozzi Arcaro

Uma insólita autobiografia….

A proposta dessa sessão é apresentar ao público uma autobiografia expondo fatos e acontecimentos que me marcaram durante minha trajetória. Mostrar a influência e importância de cada uma das experiências pessoais e profissionais na formação do meu “ser”, da minha forma de pensar e agir. Tenho a convicção de que a vida é feita de momentos, ações completadas ou não, enfim, que a personalidade e a formação de uma pessoa são de fato o aglomerado de lembranças que nos conduz a desenvolver um determinado “modus operandi” no interior da sociedade na qual vivemos e participamos ativa ou passivamente.

 

Uma autobiografia onde não irei abordar cada uma destas experiências de forma cronológica, pois fatos marcantes acontecem a todo momento e, por isso, devem ser compartilhados conforme a inspiração do momento. Desejo dividir meus elementos biográficos com o público para facilitar, de certa forma, não apenas a leitura e compreensão de meus escritos, mas, igualmente, fazer com que o público entenda minha forma de racionalizar, observar e viver no mundo.

 

Por esta razão, convido os leitores a participarem comigo com suas experiências e pontos de vista, pois, cada indivíduo tem um olhar específico e único do mundo em que vive. A questão que será aqui exposta está longe de ser baseada em julgamento de valores ou opiniões tendo em vista que uma sociedade pode sim ser unida em sua diversidade. Por isso o respeito da opinião alheia é primordial para o bom funcionamento desta sessão.

 

Vivemos em um mundo onde não há tempo para debater, discutir e criar espaços dedicados ao diálogo, nos contentamos em ler a primeira página de um jornal, ou unicamente ouvir a chamada dos telejornais durante os comerciais da novela ou de nossos programas prediletos. Não somos capazes de dividir nossas felicidades ou nossas angústias, vivemos em uma sociedade que não nos permite dizer “não estou bem”, não há espaço para tristeza, não há tempo para ouvir a dor do outro e confortá-lo. Paradoxalmente, passamos horas e horas nas redes sociais publicando fotos daquilo que fazemos ou que estamos fazendo naquele exato momento, há tempo para imagens, para máscaras e fachadas; uma foto com um sorriso e todos acreditam que tudo está bem evitando-se desta forma qualquer diálogo. Nos afirmamos constantemente, mas nunca deixamos o outro entrar em nossas vidas.

 

Estamos nos tornando cada vez mais individualistas. Nos contentamos – infelizmente, ouso dizer – em viver de aparências. Então proponho-me a relatar a vocês minhas experiências, “O MUNDO ATRAVÉS MEUS OLHOS” no intuito de ir além das imagens e entrar na profundeza da essência de um ser e de um estar…

Quem sabe desta maneira não conseguirei – eventualmente – motivar e incentivar mais e mais pessoas a repartirem suas vivências?

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s